Meus queridos amigo seguidores

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Somente o tempo...




O tempo... Só mesmo ele,
Poderá me livrar desse vazio
Libertando minha alma
Desse sentimento frio.


Não... Não posso assim viver
Somente pensando na satisfação
Levando uma vida a sofrer
Esquecendo do meu coração.


Somente o tempo... Apaziguará
Minha alma plangente
Dessas lágrimas atrevidas
Desse amor ausente.


Preciso entender que é mesmo assim
Que nem sempre é o que eu quero
Que tudo na vida tem um fim
E nem sempre é como espero.


Com o tempo eu hei de entender
Que as lágrimas silenciosas de dor
É um purificar que faz esquecer
Um sepulcral de amor.
Autora:









sexagésimo sétimo poema.

Um comentário:

  1. Tu enxergas o profundo, Eu insisto em ver a margem
    Quando vês o coração, Eu vejo a imagem

    Padre Fabio de Melo

    Uma semana de Paz e alegrias! M@ria


    OBS:Te espero aqui no meu novo espaço
    http://mariabozoli.blogspot.com/

    *************************************

    ResponderExcluir